No âmbito da implementação de uma gestão sustentável das florestas públicas, a O.N.F, estabelecimento público gestor, elabora para cada floresta, planos de gestão chamados de planos de organização com duração de 20 à 30 anos. Esses planos de organização são baseados nas informações mais recentes do ambiente natural (análise de imagens de satélite, inventários táticos, diagnósticos de terreno, inventários naturalistas, inventários dendrométricos*) e nas informações sobre as necessidades socioeconômicas expressas localmente através de uma consertação com os usuários da floresta. A análise desses elementos permite chegar à definição de objetivos prioritários espaciais em cada floresta (esses espaços de objetivos são denominados “séries”). Os objetivos almejados cobrem todas as missões da floresta: conservação restrita dos ambientes (séries de interesse ecológico sem intervenção humana), proteção física dos ambientes (séries de proteção), produção sustentável da madeira para construção, da indústria ou de energia sempre no respeito da proteção geral dos ambientes (séries de produção), atendimento ao público (séries de atendimento), uso pelas populações que tiram parcialmente seu sustento da floresta (séries de uso).

A programação das ações, essencialmente sobre as séries de produção (inventários pré-exploração, abertura de estradas, abertura à exploração florestal), é apresentada anualmente para o conjunto das florestas em um Plano Regional de Valorização Florestal. Essa globalização permite fazer uma ligação entre os objetivos dos programas de organização a médio prazo e as necessidades evolutivas da Guiana Francesa em curto prazo, no respeito da gestão durável das florestas. A implementação dessas ações se faz na esfera das unidades de gestão de aproximadamente 300 ha chamadas de “parcelas florestais”.
Ao mesmo tempo documento de programação e de ação, a organização florestal intervem assim em diversas escalas de percepção, contribuindo tanto para a organização do território como à conservação ou a valorização do patrimônio florestal através dos habitats e espécies que ele abriga.

Carte page 6
Cidades e aldeias
Setor florestal permanente
Série de interesse ecológico
Série de proteção

Mapa realizado a partir dos trabalhos de:
Gond, V., Bernard, J., Brognoli, C., Brunaux, O., Coppel, A., Demenois, J., Engel, J., Galarraga, D., Gaucher, P., Guitet, S., Ingrassia, F., Lelièvre, M., Linares, S., Lokonadinpoulle, F., Nasi, R., Pekel, J-F., Sabatier, D., Thierron, V., de Thoisy, B., Trébuchon, J-F., e Verger, G., Análises multi-escalas da caracterização dos ecossistemas florestais guianeses e dos impactos humanos a partir da teledetecção espacial, edições Karthala, (Em processo de impressão).