A utilização do guano* das aves marinhas como adubo para a agricultura é conhecida de longa data, sem dúvida desde os períodos pré-colombianos. Esse fertilizante que comportava todos os tipos de matérias provenientes do animal vivo, e principalmente ossadas de animais, era muito utilizado até que um geólogo inglês descobre, no início dos anos 1850, a possibilidade de utilizar também os fosfatos minerais.

Essa descoberta se traduzirá imediatamente por uma verdadeira corrida industrial pelo fosfato mineral, primeiro na Europa do oeste. Essa nova indústria extrativa rapidamente atravessa o Atlântico, desde 1860 com a descoberta dos depósitos de fosfatos antilhanos.

As explorações se desenvolvem rapidamente nas ilhas do Caribe com os depósitos de Anguilla, Sombrero, Redonda, Mona em Porto Rico, Aruba, Curaçao, etc.. É nesse contexto de uma dinâmica de extração mineral nova no Caribe que se iniciará a exploração dos fosfatos aluminosos da ilha do Connétable, resultantes da reação do guano* de aves submetidos à lixiviação pelas intempéries com as rochas magmáticas da ilha. Reivindicada pelos Estados Unidos através do “Guano Act”, que atribuía a esse país todas as ilhas de fosfatos não ocupadas onde quer que elas se encontrem no mundo, a ilha se tornará a sede de uma intensa atividade mineira entre os anos 1882 e 1913. Uma série de empresas americanas exportava os produtos para a Europa (França e Inglaterra) e para os USA.  O aspecto da ilha foi profundamente modificado por esses 30 anos de exploração e a quase totalidade de sua morfologia atual resulta de uma estruturação antrópica ligada à atividade mineira, com inúmeras plataformas sucessivas empilhadas.

Se a costa permaneceu imutável até uma altitude de 15 a 25 m que corresponde à rocha sã, não transformada em fosfatos, os trabalhos mineiros exploraram a ilha em pedreiras até os arredores do topo, com exceção de uma estreita parte central que continuou com seu relevo devido a uma cláusula que obrigava os exploradores a considerarem a possibilidade de instalar um farol nesse ponto.

Os trabalhos mineiros eram conduzidos na base das picaretas e da pólvora e o minério extraído dos canteiros, movimentados em caçambas suspensas por um jogo de cabos presos ao chão por correntes rígidas e acionadas por máquinas a vapor, sarilhas e cabos, além de jogos complexos de transporte por polias.

As pilhas de estéreis se encontravam estocadas no local, com suportes amuralhados de pedras secas, às vezes bem altos (20m), para a criação da plataforma até o mais próximo possível das falésias abruptas que cercam a ilha. Essa estruturação confirma a realização de pesquisas permanentes para um ganho de espaço e os muros sucessivos traduzem a existência dos antigos estágios da exploração

A costa se encontra cercada por falésias abruptas ou desgastadas pelos ventos e as correntes, e somente um setor exíguo permitia o desembarque do pessoal com um cais construído em alvenaria, seguido por uma escada estreita e sem dúvida de um dispositivo de elevação (grua) para montar o material na cabeça da falésia.

O mineral movimentado por vagonetas sobre trilhos se encontrava estocado na área de saída das caçambas para os barcos, localizado no ponto mais alto das falésias ainda reforçadas por muros monumentais em pedras secas; um imponente dispositivo de transbordo por cabra (pequeno guindaste) permitia , quando o estado do mar permitia, descer as caçambas carregadas de mineral até um barco por um sistema de cabos vai e vem.

O setor das moradias, situado na parte nordeste comporta, os pavimentos de fundação de diferentes prédios com uma casa administrativa e sua cisterna, uma construção anexa e uma provável área para içamento da bandeira, um forno de pão e diferentes prédios organizado em volta, provavelmente um depósito para estoque dos alimentos, um refeitório, a cozinha- padaria e por fim um grande prédio de alojamentos dos operários. Outra cisterna de água que coletava as águas do telhado do conjunto de prédios se encontra mais acima e corresponde a um edifício realizado durante um antigo estágio de exploração. O material se encontrava estocado na parte sul em um hangar que servia de loja, onde ainda existem muitas caçambas cuidadosamente guardadas, agora corroídas pelas intempéries, e o cume da ilha abrigava um prédio com cisterna enterrada e sem dúvida um farol.

Por um longo período de exploração, que se traduz através desses vestígios com seu cotidiano técnico ou humano e suas evoluções, a Ilha do Connétable representa então um patrimônio ao mesmo tempo geológico, industrial e arqueológico excepcional e um testemunho particularmente representativo da atividade mineira dos fosfatos nas ilhas do Caribe.